Um garoto de 12 anos sofreu uma ereção contínua por mais de um dia em decorrência do novo coronavírus. A condição médica é chamada de priapismo. De acordo com médicos austríacos, o priapismo já foi observado em outros pacientes antes.

Imagem ilustrativa

Inicialmente, especialistas teriam perfurado o órgão para drenar o sangue, no entanto, o procedimento não teria funcionado e o garoto então foi colocado sob anestesia geral para um novo procedimento, que apresentou resultados temporários.

O paciente apresentou os mesmos sintomas cerca de 24 horas depois. Por meio de exames, foram constatados coagulação de sangue no tecido esponjoso do pênis. Os médicos então aplicaram compressas de gelo na área do períneo do garoto.

Três dias após o procedimento o menino voltou para o hospital com uma ereção “totalmente rígida e sensível” e dor discreta. Ele teria sido encaminhado para especialistas para verificar possíveis doenças sanguíneas como anemia falciforme.

Foi então observado que o paciente contraiu a Covid-19, sete semanas antes do primeiro indício do priapismo.

A Covid-19 vem causando alguns efeitos colaterais inéditos para médicos e pacientes, com vários relatos de problemas raros e incomuns no pênis após a infecção. Um novo artigo, publicado na revista Urology, descreveu o caso do garoto de 12 anos que sofreu a ereção contínua por mais de um dia – condição médica chamada de priapismo. Segundo médicos da Áustria, a condição já foi observada outras vezes em pacientes com a doença.

As informações são do Bnews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.