Rádio Nacional do Rio de Janeiro completa 85 anos

Do alto do edifício A Noite, na Praça Mauá, no Rio de Janeiro, uma nova era teve início em 12 de setembro de 1936. À época da inauguração, com o nome de Sociedade Rádio Nacional, a emissora era semelhante a outras daqueles tempos. Mas tudo mudaria em 1940, após ser encampada pelo presidente Getúlio Vargas, que precisava de um veículo que fosse a voz oficial do governo.

Getúlio Vargas com o diretor da Rádio Mec, Fernando Tude de Souza. – Acervo EBC/Direitos reservados

Da antiga capital brasileira para todo o território nacional, um projeto de identidade nacional por meio da radiodifusão tomava forma. A agora Rádio Nacional dava início à época de ouro desse veículo de comunicação no Brasil, com ênfase na música popular brasileira e na transmissão de uma imagem positiva para o país e o exterior.

Com a estatização, novos patrocinadores chegaram e uma programação com horários definidos para cada tipo de programa contribuíram para o sucesso da emissora. Sônia Virgínia Moreira, jornalista, professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e uma das autoras do livro Rádio Nacional – o Brasil em Sintonia, considera que ocorreu uma profissionalização do elenco, com contratos de exclusividade. Outro destaque foram as ondas curtas, que faziam a programação chegar a todo o Brasil e ao exterior.

Ator Paulo Gracindo no ensaio no auditório da Rádio Nacional, em agosto de 1956. – Acervo EBC / Direitos Reservados
Ator Paulo Gracindo no ensaio no Teatro da Rádio Nacional, em agosto de 1956.
Ator Paulo Gracindo no ensaio no auditório da Rádio Nacional, em agosto de 1956. – Acervo EBC / Direitos Reservados

A vez da música brasileira

Na estreia da Rádio Nacional, em 1936, Luar do Sertão já soava nos aparelhos. Mas a música popular brasileira teve ainda mais destaque pelas mãos de Henrique Foreis Domingues, o Almirante. Ele estreou em 1938 o programa Curiosidades Musicais, que trazia conhecimento cultural ao ouvinte.

Conhecido como “a patente mais alta do rádio”, ele apresentou também o programa Caixa de Perguntas, com um formato muito conhecido hoje pelos telespectadores: quiz em auditórios.

“Quando começou a desenvolver a sua programação, não teve para mais ninguém”, afirma Osmar Frazão, ex-diretor da emissora na década de 90 e apresentador do Histórias do Frazão, que todo domingo de manhã relembra na Rádio Nacional do Rio de Janeiro os cantores do período áureo. Neste dia 12, aniversário de 85 anos da emissora, ele fará uma edição especial comemorativa, relembrando os artistas que passaram pelo auditório da Praça Mauá.

E foram muitos artistas! O palco da Nacional recebeu talentos como Luiz Gonzaga, Cauby Peixoto, Ângela Maria, Silvio Caldas, Francisco Alves, Linda e Dircinha Batista, Ellen de Lima, Nora Ney, Adelaide Chiozzo, Ademilde Fonseca, Albertinho Fortuna, Heleninha Costa, Vera Lúcia, Dalva de Oliveira, Orlando Silva, Elizeth Cardoso, o Garoto, Emilinha Borba e Marlene, dentre outros.

Cantora Marlene. – Acervo EBC / Direitos Reservados

Leia na íntegra no portal da EBC. Clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *