Saúde inicia estudo sobre 3ª dose em quem se vacinou com Coronavac

A necessidade de uma terceira dose de vacinas para covid-19 para quem tomou a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, com a chinesa Sinovac, vai ser avaliada. Para isso, o Ministério da Saúde inicia, em duas semanas, um estudo em parceria com a Universidade de Oxford, da Inglaterra.

São Paulo – Vacinação contra covid-19 aos profissionais da saúde do Hospital das Clínicas, no Centro de Convenções Rebouças.

Serão vacinadas pessoas que já tenham tomado as duas doses e apenas seis meses depois da segunda dose. Além disso, também será analisado uso da terceira dose com diferentes imunizantes, de outras farmacêuticas – no caso Jassen, Pfizer e Astrazeneca.

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que a decisão do ministério é muito boa, já que todos os grandes produtores de vacinas estão iniciando estudos no sentido de avaliar uma dose adicional ou a combinação de imunizantes. Dimas Covas também considerou positivo iniciar os testes com a Coronavac, porque, trata-se de um imunizante com mais de 80% das pessoas vacinadas com as duas doses no país.

O Ministério da Saúde quer produzir dados para implementar uma nova estratégia de vacinação, se necessário, ainda no final deste ano.

Vão participar da pesquisa 1.200 voluntários que receberam a segunda dose há pelo menos 6 meses.

Com informações da rádio nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *