SEC celebra o Dia dos Povos Indígenas com discussões sobre Educação Escolar Indígena

Como o objetivo de celebrar o Dia dos Povos Indígenas, comemorado anualmente em 19 de abril, a Secretaria da Educação do Estado (SEC) recebeu, nesta quinta-feira (19), no auditório do órgão, representantes dos povos indígenas das etnias Kaimbé, Kiriri, Tupinambá e Pataxó. O evento, realizado em parceria com a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI), teve como foco central discussões sobre a Educação Escolar Indígena. A rede estadual de ensino conta, atualmente, com 27 escolas de Educação Escolar Indígena e 7.449 estudantes matriculados.

A superintendente de Políticas para a Educação Básica, Leninha Cavalcante, que representou a secretária da Educação do Estado, Adélia Pinheiro, ressaltou a importância da Educação Escolar Indígena. “Entendemos que é preciso partir de nós, da Educação, o reconhecimento e a valorização dos povos originários na constituição do nosso país. ‘Nunca mais o Brasil sem nós’ é o nosso lema do ‘Abril Vermelho’ deste ano e precisamos dar garantia de educação com qualidade para os nossos estudantes indígenas, para que eles possam, também, de igual forma, fazer as disputas dos espaços de trabalho e de estudo, pois, de fato, o Brasil começou com os indígenas”.

Para a superintendente de Políticas para os Povos Indígenas da SEPROMI, Patrícia Pataxó Hãhãhãe, a data tem um simbolismo de comemoração e de reafirmação da luta e resistência dos povos indígenas. “É essa resistência que nos traz até aqui, onde permaneceremos nesta sociedade baiana e brasileira, porque nós fazemos parte dela, somos plural e temos a nossa cultura e diversidade, que são a riqueza do povo brasileiro”, destacou.

A estudante indígena Naisa Pinheiro, que cursa o 9º ano, no Colégio Estadual Indígena Tanara Pataxó Pequi, localizada na Aldeia Pequi, em Prado, considera essencial dar visibilidade aos povos indígenas. “Viemos representar os demais estudantes indígenas e mostrar um pouco da nossa cultura, pois é muito rica e merece ser valorizada”.

A programação do evento, que foi aberto com um canto Toré, realizado por indígenas Tupinambá, do município de Olivença, ainda contou uma roda de conversa sobre o tema “A importância da Educação Escolar Indígena para a transformação da sociedade”; oficina de pinturas corporais; e apresentação de adereços indígenas.

Kleber Medrado

Deixe um comentário