O suspeito de matar com 42 facadas a menina Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, dentro de um colégio particular de Petrolina, foi finalmente identificado pela Polícia Científica de Pernambuco e confessou o assassinato.

Imagem reprodução

A menina de 7 anos de idade foi morta na noite de 10 de dezembro de 2015, com 42 golpes de faca, durante uma solenidade de formatura do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, no Centro de Petrolina, no Sertão pernambucano.

Segundo o G1, um laudo pericial informa que o DNA encontrado na faca, é de Marcelo da Silva de 40 anos, que está preso por outros crimes.

Imagem reprodução

Os peritos coletaram o DNA no cabo da arma, deixada no local do homicídio e foi possível comparar com o perfil do assassino. O DNA dele fazia parte do Banco Estadual de Perfis Genéticos.

O DNA da faca chegou a ser comparado com o material genético de 125 pessoas, para então finalmente encontrar os dados genéticos de Marcelo, que assumiu a autoria desse crime brutal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.